MPB

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Racismo e fascismo de mão dadas...


Note-se que as duas mulheres, não são nem caucasianas nem anglo saxões. Como diria Caetano, em sua antológica música – O Haiti é aqui, são quase brancas ou quase pretas, mas independente da coloração de suas peles elas estão impregnadas pelo ódio. Ódio a tudo que represente cidadania., inclusão ou democracia.


O episódio, ocorrido no último de 03 de fevereiro, com a Secretaria do Trabalho do Estado da Bahia, Olívia Santana, revela bem o momento grave que estamos vivendo. A secretária foi duramente agredida (física e moralmente), por duas senhoras, (quase pretas ou quase brancas), uma delas, inclusive, alegava ter sido vizinha da Secretária Olívia, por meio de palavras ofensivas tanto a sua condição de militante de esquerda quanto da sua origem racial e social. Apesar de ser uma pessoa experimentada nas lutas, a perplexidade estampada no rosto da Secretária, bem diz da violência da qual foi vítima.

Mesmo após a chegada dos policiais, que as conduziu a uma delegacia, uma das agressoras continuou a desferir sua catilinária fascista e racista, contra Olívia Santana, exigindo sua retirada daquele ambiente, pois a mesma era comunista e defendia favelados. Este é o quadro de ódio que está se gestando no país, por conta dessa sanha avassaladora contra os avanços que foram recentemente conquistados pela parte excluída e discriminada da nossa população. Neste sentido, importante afirmar, que isto não tem nada a ver com combate ou conivência com a corrupção, mas sim, defesa explicita de privilégios e iniquidades para uma elite.

Leia mais...