MPB

sábado, 25 de agosto de 2012

Serra introduz 'mensalão' na campanha eleitora


Serra introduz 'mensalão' na campanha eleitoral

Foto: Edição/247

E DA PIOR FORMA POSSÍVEL: PARA IRONIZAR UMA BOA IDEIA

 DO RIVAL FERNANDO HADDAD, QUE É O BILHETE ÚNICO 

MENSAL NO TRANSPORTE PÚBLICO; PROGRAMA DO 

TUCANO DEFINIU PROJETO COMO "BILHETE MENSALEIRO"

 E LEVOU O PT A PEDIR DIREITO DE RESPOSTA;

 "A PRESIDENTA DILMA ME ALERTOU DE QUE TERÍAMOS 

ISSO NESSA ELEIÇÃO", DISSE HADDAD

24 de Agosto de 2012 às 22:09
247 - O escândalo do 'mensalão', que está sendo julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), não demorou a entrar na campanha pela sucessão à Prefeitura de São Paulo. Logo na primeira semana da propaganda eleitoral de tevê e rádio, o candidato tucano José Serra chamou de "mensaleiro", em seu programa de rádio, o projeto de Bilhete Único Mensal (pelo qual o usuário de transporte pagaria um valor fixo no mês e usaria metrô e ônibus à vontade) proposto pelo petista Fernando Haddad. 
Para Haddad, os ataques à sua proposta "lembram a campanha (presidencial) de 2010". "A presidenta Dilma me alertou de que teríamos isso nessa eleição, um tom muito agressivo e que em nada contribui para o debate de propostas para a cidade", disse o petista, que prometeu não usar "ataques pessoais" como o adversário. 
Após o programa de Serra, a equipe do candidato do PT solicitou à Justiça Eleitoral um pedido de resposta. Os advogados de Haddad dizem que o programa eleitoral tucano usou um termo ofensivo na tentativa de associar o candidato do PT ao julgamento da Ação Penal 470, o 'mensalão', cuja maioria dos réus tem ligações com o PT.
"A propaganda tem uma carga de ofensividade muito grande ao Fernando Haddad. A expressão mensaleiro tem uma carga negativa: há o mensalão do DEM, há o mensalão mineiro e o mensalão que está sendo julgado no Supremo Tribunal Federal. O Fernando Haddad nada tem a ver com mensaleiros", disse Hélio Silveira, advogado da campanha de Haddad, ao Estadão.
Na propaganda de Serra, um locutor deixa a comparação com o 'mensalão' sugerida: "Tem candidato prometendo um bilhete mensaleiro. Mas assim fica mais caro, porque estou pagando transporte mesmo quando estou dormindo, já paguei pelo mês inteiro. E no dia que eu estiver em um churrasco em casa? Já vou ter pago e não vou aproveitar?".
Questionado sobre a propaganda, Serra se esquivou. "Não ouvi o rádio. Não ouvi", disse
Do blog 247

2º Programa de Fernando Haddad.



Um dos problemas crônicos de São Paulo, a saúde foi tema do segundo programa de Fernando Haddad na TV. O candidato mostrou o sofrimento de paulistanos que passam anos nas filas de cirurgias do sistema público e falou de propostas concretas para reestruturá-lo.

"O posto me jogou na fila. Fiquei um ano e meio aguardando", conta o caminhoneiro José Machado, que precisou parar de trabalhar por causa da catarata. Já o encanador Fernando Silva não consegue mais emprego: ele é dispensado logo no exame admissional, porque sofre de hérnia de disco e a prefeitura não marca a sua cirurgia. "A gente se sente o lixo da sociedade."

Para acabar com o drama de paulistanos como José e Fernando, Haddad vai criar a Rede Hora Certa, que terá centros equipados para realizar consultas, exames e cirurgias que não exigem internação - tudo no mesmo lugar -, desafogando os hospitais. Haddad ainda criará 1.000 novos leitos e três novos hospitais. Também veja no vídeo como Haddad levará mais médicos ao sistema público, acabando com a demora no atendimento.


Pense Novo‏
Site: http://www.pensenovotv.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/fernandohaddad13
Twitter: http://twitter.com/pensenovotv

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Primeiro programa de Fernando Haddad na TV .


Publicado em 22/08/2012 por
"Nasci, cresci e vivo em São Paulo. Sinto muito orgulho disso. Essa é uma das cidades mais incríveis do mundo. Uma cidade que cresceu para todos os lados. Agora, é a hora de ela crescer para todos os seus filhos.

São Paulo acelerou o progresso do Brasil. Fez nosso país ganhar tempo na história. Mas, hoje, o paulistano é obrigado a perder muito tempo na vida. Perde tempo na fila do transporte, no trânsito, na fila da cirurgia, na fila do exame, na espera da creche, na espera da casa própria. O paulistano só não perde a esperança, porque sabe que isso pode mudar.

Todos nós queremos um tempo novo para São Paulo. E tempo novo significa ideias novas. Estilo novo. Energia nova. São Paulo precisa de um prefeito com mais ideias, que trabalhe mais tempo, um prefeito apaixonado por sua cidade. São Paulo não quer mais prefeito de meio mandato nem de meio expediente. Eu vou trabalhar de manhã e de noite para realizar as mudanças que nossa cidade precisa.

Durante esta campanha, vou apresentar propostas inovadoras para São Paulo. Propostas à altura da maior e da mais moderna cidade brasileira. Quero ser o prefeito que vai fazer mais em menos tempo para o povo de São Paulo."


Pense Novo: http://www.pensenovotv.com.br/

Juvandia Moreira: Bancos investem mais em publicidade do que em segurança nas agências.

publicado em 21 de agosto de 2012 às 13:39

Juvandia Moreira: “Desde que as portas de segurança começaram a ser retiradas das agências, a violência aumentou”. Foto: Sindicato dos Bancários de São Paulo
por Conceição Lemes
Os bancários de todo o país estão em campanha. Nesta quarta-feira 22, o comando nacional da categoria reúne-se com Federação dos Bancos (Fenaban) para mais uma  rodada de negociação. Na pauta de reivindicações, maior investimento em segurança dentro das agências.
Levantamento da Confederaçoes nacionais dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e dos Vigilantes (CNTV) revela que as mortes decorrentes de assaltos a bancos estão aumentando no Brasil. Apenas no primeiro semestre de 2012 foram 27 contra 22 no mesmo período de 2011. Crescimento de 17,4%
“Desde que se ampliou a instalação das portas de segurança nas agências, o número de assaltos diminuiu. Em compensação, a violência aumentou, quando começaram a ser retiradas”, afirma Juvandia Moreira, presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. “Daí defendermos a instalação das portas giratórias com detector de metais.”
Dados da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) dão razão a Juvandia. A partir do final dos anos 1990, quando teve início a implantação das portas de segurança, os assaltos a bancos caíram. De 1.903, em 2000, para 369, em 2010. Porém, subiram para 422 em 2011, ano em que alguns bancos as retiraram nas reformas das agências.
KASSAB VETOU PROJETO QUE OBRIGAVA PORTAS DE SEGURANÇA
No Brasil, existe uma lei federal de segurança de segurança — a 7.102. Ela, porém,  não define itens indispensáveis a uma agência.  Estabelece, por exemplo:
* Alarme — obrigatório
* Vigilantes — obrigatório
* Portas de segurança e/ou câmeras, entre outros – opcionais.
Em 2007, os vereadores paulistanos aprovaram por unanimidade projeto de lei que tornava obrigatória as portas de segurança em todas as agências da capital. Em 2008, porém, o prefeito Gilberto Kassab (na época DEM, hoje PSD) vetou. Atualmente, são opcionais. Tanto que cresce o número de bancos sem elas. Alguns alegam que elas “constrangem” o cliente, por isso as retiram.
“Em São Paulo, fizemos uma pesquisa com bancários; 84% defendem as portas de segurança como um item essencial para a proteção de funcionários e clientes”, ressalta Juvandia. “Por isso, reivindicamos que seja obrigatório em todas as agências do país. Já comprovado que, junto com outros itens, inibem a ação de bandidos. É preciso, porém, campanha de esclarecimento à sociedade para mostrar a importância delas.”
“BANCOS INVESTEM MAIS EM PUBLICIDADE QUE EM SEGURANÇA NAS AGÊNCIAS”
Segundo dados do Dieese, no primeiro semestre de 2012, os cinco maiores bancos que operam no Brasil (Bradesco, Itaú, Santander, Caixa Econômica e Banco do Brasil) tiveram lucro de R$ 24 bilhões, mas os investimentos em segurança e vigilância somaram R$ 1,5 bilhão. Ou seja, 6%, em média, do lucro líquido.
Quando se analisa separadamente os maiores bancos privados as despesas com segurança são ainda menores.
“Os bancos investem mais em publicidade do que em segurança das agências”, denuncia Juvandia.
O Bradesco, por exemplo, registrou lucro de R$ 5,7 bilhões e investiu R$ 205 milhões em segurança. Isso dá 3,6% do lucro líquido. Em publicidade, gastou mais. Foram R$ 315 milhões (5,5% do lucro líquido).
Já o Itaú teve lucro líquido de R$ 7,1 bilhões. Gastou R$ 263 milhões (3,7% do lucro liquido) com segurança e R$ 447 milhões com publicidade (6,3% do lucro líquido).
Aliás, no Itaú as despesas com segurançapor agência caíram 15% em 2011 em relação a 2010. No Bradesco, a queda foi de 4,3% e no Santander, de 4,5%.
Outro dado revelador: em 2011, os seis principais bancos (Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica, Santander e HSBC)  foram multados em mais de R$ 5 milhões devido a falhas na segurança. Por exemplo, número insuficiente de vigilantes, alarmes inoperantes e utilização de bancários para o transporte de valores, que é proibido pela lei 7.102/83. Ela determina que esse serviço seja feito por empresa contratada para essa finalidade ou pelo próprio estabelecimento com pessoal treinado.
“Reivindicamos que os bancos cumpram essa lei. Também que os bancos sejam proibidos de entregar a chave do cofre para os bancários levarem para casa, pois estão aumentando os casos de violência contra esses trabalhadores”, sublinha Juvandia. “Enfim, bancários de todo o país cobram mais rigor e investimentos na segurança das agências.”
Leia também:
Dieese: Empregos no setor bancário equivalem a 70% dos existentes em 1990
Adriano Benayon: Brasil paga para se tornar pobre
Flávio Aguiar: HSBC lavou dinheiro dos cartéis mexicanos de drogas
Sindicalistas denunciam HSBC ao Ministério Público por espionar bancários em licença médica

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A REDE GLOBO TREME ... A FRAUDE DO "CRIANÇA ESPERANÇA" ... ESTÁ AÍ O "LEÃO ESPERANÇA" ...


A "patota global" é sempre a mesma!!!


SEGURA ESSA, REDE GLOBO :
NÓS OS BRASILEIROS QUEREMOS QUE NOS INFORMEM VIA JORNAL NACIONAL, O NÚMERO DA CONTA DA UNICEF ONDE SÃO DEPOSITADAS AS DOAÇÕES DO "CRIANÇA ESPERANÇA". COMO É? FICARAM MUDOS? FALA O NÚMERO! FALA PRÁ TODO O BRASIL CONFERIR! FALA AÍ NO JORNAL NACIONAL OU PUBLICA NOS JORNAIS DE MAIOR CIR CULAÇÃO DAS CAPITAIS! COMO É? VAI DEMORAR OU SERÁ QUE NÃO TÊM RESPOSTA IMEDIATA!



O pior é que procede !!!

A REDE GLOBO, TREME...



VIVA A INTERNET !

Criança Esperança não gera lucro é mentira!!!


Leão Esperança :



Circula na Internet um e-mail cuja mensagem vem causando arrepios à Rede Globo:



Criança Esperança : Você está pagando imposto da Rede Globo! Quando a Rede Globo diz que a campanha Cria
Porque no mês de ABRIL do ano seguinte, ela ( TV Globo ) entrega o seu imposto de renda com o seguinte desconto: doação feita à Unicef no valor de... aqui vem o valor arrecadado no Criança Esperança. Ou seja, a Rede Globo já desconta pelo menos 20 e tantos milhões do imposto de renda graças à ingenuidade dos doadores !

Agora se você vai colocar no seu imposto de renda que doou R$7,00 R$15,00 R$30,00 ou mais para Criança Esperança, não pode, sabe por quê? Porque Criança Esperança é uma marca somente e não uma entidade beneficente. Já a doação feita com o seu dinheiropara o Unicef é aceito. E não há crime nenhum.



Assim funciona o golpe...



Pelo telefone :



Para doar R$ 7,00



0500 2011 007



Para doar R$ 15,00



0500 2011 015



Para doar R$ 40,00



0500 2011 040



e... pasmem, sem contar os impostos... pagos por você!



Telefone Fixo: R$ 0,39 + impostos
Telefone Celular: R$ 0,71 + impostos



Aí, você doou à Rede Globo um dinheiro que realmente foi entregue à Unicef, porém, por que descontar na Receita Federal como doação da Rede Globo e não na sua ?

Do jeito que somos tungados pelos impostos, bem que tal prática contábil tributária poderia se chamar de agora em diante de Leão Esperança .

Lição :

Se a Rede Globo tem o poder de fazer chegar a mensagem dela a tantos milhões de televisores, também nós temos o poder de fazer chegar a nossa mensagem a milhões de computadores!



AGORA, A REDE GLOBO DIZ QUE O DINHEIRO VAI DIRETO PARA UMA CONTA DA UNICEF, MAS, POR QUE ELA NÃO DÁ O NÚMERO DA CONTA???



LEMBRANDO SEMPRE : O QUE PESA MESMO SÃO OS IMPOSTOS SOBRE NOSSO CONSUMO, EXERÇAMOS ESTE PODER - DEVER, ENVIANDO ESTE TEXTO À LISTA DE AMIGOS E CONTATOS !!!



A DECISÃO É SUA!!!



"DEPENDE DE NÓS..." NÃO BANCARMOS MAIS OS TROUXAS!!

Eu particularmente, sempre fui da opinião

de que se realmente desejamos fazer caridade

que façamos então nós mesmos.

Porque quem realmente doa ,doa de coração e por convicção, não precisa de atravessadores, doa com seu corpo, sua alma e coração. 


O que é uma farsa?


Só o "Mensalão" acabou na justiça






Publicado em 20/08/2012 por 
Há quem diga ser uma farsa o julgamento do chamado "mensalão". Não, não é uma farsa. É fruto de fatos. Ou era mesada, o tal "mensalão", ou era caixa dois. Mas não há como dizer que há uma farsa. E quem fez, que pague o que fez. A farsa existe, mas não está nestes fatos.

Farsa é, 14 anos depois, admitir a compra de votos para aprovar a reeleição em 98 -Fernando Henrique-, mas dizer que não sabe quem comprou. Isso enquanto aponta o dedo e o verbo para as compras agora em julgamento. A compra de votos existiu em 97. Mas não deu em CPI, não deu em nada.

Farsa é fazer de conta que em 98 não existiram as fitas e os fatos da privatização da Telebras. É fazer de conta que a cúpula do governo não foi gravada em tramóias escandalosas num negócio de R$ 22 bilhões. Aquilo derrubou um pedaço do governo tucano. Mas não deu em CPI. Ninguém foi preso. Não deu em nada.

Farsa é esquecer que nos anos PC Farias se falava em corrupção na casa do bilhão. Isso no governo Collor; eleito com decisivo apoio da mídia. À época, a polícia federal indiciou 400 empresas e 110 grandes empresários. A justiça e a mídia esqueceram o inquérito de 100 mil páginas, com os corruptos e os corruptores. Tudo prescreveu. Fora o PC Farias, ninguém pagou. Isso foi uma farsa.

Farsa foi, é o silêncio estrondoso diante do livro "A Privataria Tucana". Livro que, em 115 páginas de documentos de uma CPI e investigação em paraísos fiscais, expõe bastidores da privatização da telefonia. Farsa é buscar desqualificar o autor e fazer de conta que os documentos não existem ou "são velhos". Como se novas fossem as denúncias agora repisadas nas manchetes na busca de condenações a qualquer custo.

Farsa é continuar se investigando os investigadores e se esquecer dos fatos que levaram à operação Satiagraha. Operação desmontada a partir da farsa de uma fita que não existiu. Fita fantasma que numa ponta tinha Demóstenes Torres e a turma do Cachoeira. E que, na outra ponta da conversa que ninguém ouviu, teve o ministro Gilmar Mendes.

Farsa é, anos depois de enterrada a Satiagraha, o silêncio em relação a US$ 550 milhões de dólares. Sim, por não terem origem comprovada, US$ 550 milhões continuam retidos pelo governo dos EUA e da Inglaterra. E o que se ouve, se lê ou se investiga? Nada. Tudo segue enterrado. Em silêncio.

O julgamento do chamado "mensalão" não é uma farsa. Farsa é isolá-lo desses outros fatos todos e torná-lo único. Farsa é politizá-lo ainda mais. Farsesco é magnificá-lo, chamá-lo de "maior julgamento da história do Brasil".

Farsa não porque esse não seja o maior julgamento. Farsa porque se esquecem de dizer que esse é o "maior" porque não existiram outros julgamentos. Por isso, esse é o "maior". Existiram, isso sempre, alianças ideológicas, empresariais, na luta pelo Poder. Farsa porque ao final prevaleceu, sempre, o estrondoso silêncio cúmplice.