MPB

sábado, 6 de outubro de 2012

Por uma cidade mais justa e solidária apoio Selma Rocha 13.310 e entenda porque...


Conheça as propostas da educadora e candidata à vereadora Selma Rocha (PT-SP). Mais informações sobre a candidata você encontra em
www. selmarocha13310.com.br e no  facebook.com/amigosdaselmarocha

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Ex-Obreira da Universal revela esquema de manipulação de votos pró Russomanno.


Publicado em 05/10/2012 por
Exclusividade #PosTV: Fala que eu te escuto, Regiane. Testemunho de Regiane Brito, ex-obreira da Igreja Universal do Reino de Deus. Ela fala sobre como a igreja manipula votos em favor de Celso Russomanno, a construção do templo de Salomão, o projeto político da IURD e porque ela teve a coragem de largar a igreja e trazer isso à tona.  Veja o Video..

Eleições 2012 e o oportunismo dos tucanos.

CUT e Bancários não podem apoiar Haddad, mas a UGT pode apoiar Serra.

 
Por Gilmar Carneiro.
 

Noticia fresquinha, em parceria com SERRA a revista VEJA em sua capa ataca o Presidente Lula.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Veja, em parceria com Serra, vem com capa de baixarias contra Lula

Lula somos todos nós da grande maioria do povo brasileiro. Mexeu com ele, mexeu comigo.

Na véspera das eleições, a revista Veja que chega nas bancas amanhã virá com uma capa de baixarias contra o presidente Lula, pegando o gancho no julgamento do chamado "mensalão", para preparar o terreno do golpe hondurenho contra Lula.

Desta vez, a parceria editorial Veja-Cachoeira é trocada pela parceria Veja-José Serra, segundo um passarinho que pousou na janela contou.

O objetivo é conter o crescimento das candidaturas lulistas pelo Brasil, sobretudo a de Fernando Haddad, a que compromete os planos de José Serra para chegar a presidência em 2014.

Os tucanos já trabalham com a expectativa de haver um segundo turno entre Haddad e Serra, em São Paulo. Assim, atacar Lula, não apenas a boca de urna na revista Veja, no primeiro turno. É também o primeiro ato da campanha de baixarias no segundo turno.

Ao contrário dos prognósticos da imprensa demotucana, o julgamento do chamado "mensalão" não atinge só um partido. Arranha a imagem da classe política como um todo, aumentando o número de eleitores indecisos e desconfiados de todos os políticos, mas sobretudo dos mais desgastados como Serra, Kassab, Aécio e de outras oligarquias. Paradoxalmente beneficia a imagem de políticos que representam renovação, como Haddad.

Com os velhos políticos desgastados, a grande liderança que sobressai nos meios populares é Lula. Aquele líder que é maior do que os partidos, aquele cujo governo nunca decepcionou seus eleitores e deixou saudades. Surpreendeu para melhor muita gente que não votava nele.

Lula continua sendo o maior representante da esperança em um Brasil melhor, justamente quando a imprensa demotucana dá um tiro no pé e faz de tudo para tirar a esperança do cidadão brasileiro nos políticos convencionais.

Por isso, Lula é o maior cabo eleitoral do Brasil, um dos poucos políticos capaz de influenciar indecisos, neste momento de véspera das eleições. Um dos poucos a quem o eleitor do povo dá ouvidos.

Mas o segundo turno destas eleições é só o começo do golpe hondurenho traçado.

O objetivo final é forjar a cassação de Lula no tapetão, aproveitando que, agora, o judiciário anda dispensando provas para condenar.

Sem Lula "no banco de reservas" para 2014, como dizem os demotucanos, torna-se viável partir para cima para derrubar Dilma. É esse o mapa da mina dos demotucanos, que usarão sua parceria com a revista Veja para colocar em execução, e se "colar" os factóides lançados na revista, o Jornal Nacional repercute.

Pois se o objetivo da parceria Veja-José Serra é influir nas eleições, vamos dar o nosso NÃO a esse golpe hondurenho, e votar em massa nos candidatos lulistas, pois , em parte, é também como se estivéssemos votando no próprio Lula, no nosso projeto de Brasil e da qualidade de vida que queremos para todos os brasileiros.

Ainda tem muita luta e tormentas pela frente a enfrentar , para acabar o ciclo inaugurado por Lula de tornar o Brasil uma nação desenvolvida, com um povo rico, todo de classe média para cima, sem pobreza e sem miséria, e respeitada internacionalmente. Mas quem disse que seria fácil?

À luta, então. Que venham José Serra com suas bolinhas de papel e seus aliados da Privataria Tucana, nas páginas da revista Veja.

Lutar por Lula, é lutar por nós mesmos, pelos nossos desejos de um Brasil do jeito que mercece ser. Lula na presidência, foi cada um de nós, do povo brasileira, na presidência.

Por isso Lula é nosso amigo. Mexeu com ele, mexeu comigo.

MANO BROWN RACIONAIS MCS - fora !!! serra kassab alckmin

Clica e aperta o play e ouça algumas verdades...
MANO BROWN RACIONAIS MCS - fora !!! serra kassab alckmin

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Sindicato dos Bancários de São Paulo é invadido por oficiais de justiça com ordem de arrombamento.

Sindicato dos Bancários de São Paulo é invadido por oficiais de justiça com ordem de arrombamento
 
"Simplesmente pelo fato de expressar sua opinião na última pagina da Folha Bancária sobre o que acredita e confia ser melhor projeto  para Cidade de São Paulo, bancários são censurados..."
Luiz Casé
 
Há poucas horas a sede e – pelo menos uma subsede - do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, filiado a CUT, foi invadido por oficiais de justiça, acompanhados de viaturas policiais, com ordem de arrombamento – se necessário – para buscar e aprender material relacionado a campanha eleitoral, inclusive com ordem de retirada do site o posicionamento político da entidade frente as eleições municipais.

O Sindicato dos Bancários, historicamente, sempre manifestou a posição majoritária de sua direção em seus informativos, como uma forma de orientar a categoria bancária em relação ao posicionamento político de sua direção em eleição de todos os níveis. Foi assim em todas as eleições disputadas por Lula e em todas as eleições para prefeitura e governo do estado desde a retomada do Sindicato para o campo do sindicalismo combativo no final da década de 1970.

Vale lembrar que nem mesmo no período da ditadura militar o Sindicato foi invadido com acompanhamento policial e ordem de arrombamento. A justiça brasileira passa por um processo de necessária reflexão, estamos acompanhando o caso da AP 470, que faz um julgamento político, sem base nos autos do processo, que é um principio jurídico, fazendo a votação de forma a coincidir com as eleições municipais e passando na frente de dezenas de outros processos mais antigos, como o mensalão do PSDB, onde está envolvido o ex-governador mineiro Eduardo Azeredo, à época, presidente nacional do PSDB.

Vimos também a forma truculenta como o judiciário – em conjunto com a PM paulista – no caso do massacre de Pinheirinho. O caso Bancoop é outro que aparece nos anos pares (anos eleitorais) assim como o procurador José Carlos Blat, que também só aparece nos anos eleitorais, sempre procurando crucificar o PT.

Esta mesma justiça não mantém o mesmo rigor para investigar as denúncias que o livro Privataria Tucana, do jornalismo Amaury Ribeiro Junior apresenta, recheado de documentos, mostrando a lavagem de dinheiro que foi a processo de privatização das estatais e como figuras notórias, como José Serra, sua filha Verônica e outras personalidades do governo Fernando Henrique aparecem envolvidos, ou o caso Aston, Paulo Preto e tantos outros que a justiça não investiga.

No caso desta invasão no Sindicato dos Bancários mostra que a justiça chegou ao fundo do poço e fica difícil tentar justificar qualquer imparcialidade neste episódio que – repito – não assistimos nem mesmo durante o período mais truculento da ditadura militar
 
Leia aqui...

terça-feira, 2 de outubro de 2012

SP: metroviários decidem amanhã se suspendem greve por 20 dias.


Em audiência de conciliação nesta terça-feira, a desembargadora Rilma Aparecida Hemetério, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região sugeriu que a greve dos metroviários seja suspensa por 20 dias. Amanhã, a categoria decide em assembleia se cancela a paralisação que está prevista para começar na quinta-feira.

O encontro está marcado para as 18h30 na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários de São Paulo, no Tatuapé. "Vamos colocar a proposta em votação e ver o que é melhor para todos", disse Altino de Melo Prazeres Júnior, presidente do sindicato.
A categoria está em estado de greve desde o último dia 13. Os metroviários reivindicam participação nos lucros de forma igualitária para todos os funcionários da empresa, além de manter o pagamento do benefício como nos outros anos, em fevereiro. Os servidores também pleiteiam redução na jornada de trabalho. "A empresa quer previlegiar quem ganha mais e mudou o pagamento da participação nos resultados (PR) para abril", afirmou Altino.
Em nota, a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) disse que mantém sua disposição de negociar com os metroviários e "estranha a decisão, tomada por um grupo inexpressivo de sindicalistas, de precipitar uma greve inútil para a categoria e cruel para a população de São Paulo". A empresa alega ainda que "não se nega a negociar" e que se orgulha de ser "uma das que têm a melhor média salarial do Estado, além de uma extensa lista de benefícios oferecidos a todos os empregados".
Ontem, a desembargadora Rilma Hemetério concedeu liminar atendendo pedido do Metrô para determinar que os metroviários mantenham 100% da operação em São Paulo nos horários de pico (entre 6h e 9h e entre 16h e 19h) e 90% nos demais horários, em caso de paralisação, sob pena de aplicação de multa diária de R$ 100 mil, bem como proíbe a liberação das catracas.
"O TRT impôs à categoria algo que não acontece nem em dia normal de funcionamento e que nem a própria empresa consegue garantir. Isso não é muito razoável, por isso sugerimos a liberação das catracas, mas a empresa alega que pode haver um certo tumulto, mas há vários mecanismos para conter isso e diminuir o fluxo", alega Altino.
Proporcional
De acordo com o diretor de Comunicação do sindicato, Ciro Moraes, até 2007 a participação dos resultados (PR) da empresa era distribuída linearmente entre os funcionários. "Em 2007, tivemos uma greve que foi retaliada pelo Metrô com demissões. O protesto dos trabalhadores era por conta da decisão de usar a proporcionalidade de 30% na participação dos resultados", disse.
Segundo o sindicalista, desde 2008, a PR recebida pelos trabalhadores é de parcela fixa somada ao montante proporcional a 40% do salário. Este ano, de acordo com o sindicato, o Metrô decidiu implementar PR proporcional a 100% aos engenheiros, 80% para empregados dos cargos de liderança e assessoria e 40% para os demais trabalhadores.
Com informações da Agência Estado.

Ibope: Russomanno cai 7 pontos; Haddad e Serra empatam.



Russomanno vem caindo em todas as pesquisas de intenção de voto
A taxa de intenção de voto no candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno (PRB), caiu de 34% para 27% em uma semana, segundo a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo. A cinco dias da eleição, o tucano José Serra, com 19%, e Fernando Haddad, com 18%, seguem em situação de empate técnico.

Leia mais:
Haddad chama Russomanno para 'duelo eleitoral'
Globo cancela debate em SP
Dilma e Serra trocam provocações


O peemedebista Gabriel Chalita foi o candidato que mais se beneficiou da queda de Russomanno: ele chegou pela primeira vez a 10% das preferências - tinha 7% na pesquisa anterior do Ibope. Serra oscilou dois pontos para cima, e Haddad permaneceu com a mesma taxa.

A candidata do PPS, Soninha Francine, manteve os 4% que vem apresentando desde o final de agosto. Paulinho da Força (PDT), que chegou a aparecer com 5% no começo do mês passado, agora nem sequer pontuou - teve menos de 1% das menções dos entrevistados.

Nos votos válidos, Russomanno tem 34%, enquanto Serra 24% e Haddad 22%.

Nas projeções de segundo turno, Russomanno venceria qualquer dos adversários. Contra Haddad, o placar seria de 39% a 30%. Contra Serra, ganharia por 46% a 28%. Um confronto direto entre PT e PSDB seria vencido por Haddad (38% a 31%).

A taxa de rejeição de Serra - a maior entre todos os candidatos - variou de 40% para 38%. A de Haddad passou de 16% para 19% e a de Russomanno, de 14% para 16%.

O Ibope ouviu 1.204 pessoas entre os dias 27 de setembro e 2 de outubro. A margem de erro máxima do levantamento é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo SP-1474/2012.
Confirme aqui...O resultado totalmente contrario que o SPTv da Globo mostrou...minutos antes!

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Reporter da Rede Brasil Atual questiona $erra e mais uma vez o "coiso" desrespeita um profissional de imprensa que não esta a seu serviço...

Serra se irrita com pergunta e chama repórter de 'sem vergonha'

28 de setembro de 2012 16h46 atualizado às 17h54  


Não, eu não respondo pergunta de sem vergonha, retrucou o candidato do PSDB. Foto: Carlos Pessuto/Futura Press
"Não, eu não respondo pergunta de sem vergonha", retrucou o candidato do PSDB
Foto: Carlos Pessuto/Futura Press

Veja o video:


O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, se irritou nesta sexta-feira com uma questão de um repórter sobre seu programa de governo. Durante visita ao bairro da Mooca, onde passou a infância, Serra se desentendeu com um repórter da Rede Brasil Atual, veículo ligado a Central Única dos Trabalhadores (CUT), e chegou a chamá-lo de "sem vergonha".
Durante coletiva de imprensa, o candidato do PSDB anunciou que pretendia criar "o sistema municipal de ensino técnico" para dar uma "chance" a crianças de "famílias humildes". Mas admitiu que esta era uma ideia que lhe veio à cabeça no momento da entrevista. "Como administrador público (...) nós vamos criar o sistema municipal de ensino técnico e profissionalizante. Para aumentar em dezenas de milhares os alunos de ensino técnico e profissionalizante. Esta é uma chance imensa para crianças de famílias mais humildes. Essa é a minha ideia. É o que me veio agora há cabeça vindo aqui à Mooca, me lembrando a minha infância e a juventude", disse.
Após o comentário do candidato, o repórter da Rede Brasil Atual questionou Serra sobre a proposta: "Veio a cabeça agora ou está no seu plano de governo?", perguntou. O candidato, então, quis saber o veículo no qual o jornalista trabalha. "De qual veículo você é?", retrucou. Como o repórter não quis se identificar, Serra ameaçou deixar a coletiva. Mas parou para ouvir a pergunta de outros profissionais na sequência, sem ainda responder o primeiro jornalista.
Ao final da entrevista, enquanto Serra se dirigia ao carro da campanha, o mesmo repórter da Rede Brasil Atual voltou a questionar o candidato. "Por que você só responde perguntas favoráveis?", disse. Foi então que o tucano xingou o profissional. "Não, eu não respondo pergunta de sem vergonha", afirmou.
Depois da confusão, Serra foi a uma padaria da região e comentou a discussão com outro repórter. "Eu não tenho direito de saber de qual veículo ele é?", questionou. Não é a primeira vez que Serra faz essa pergunta a um jornalista durante uma coletiva de imprensa. Ele costuma ter essa postura quando é questionado de forma mais incisiva.