MPB

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Não vamos falar sobre o Metrô de SP.

O PSDB acusa o Partido dos Trabalhadores-PT de comemorar a precaridade do transporte e Soninha Francine diz que estava  tudo SUSSA ontem no Metrô de São Paulo, ainda bem pensei que fosse coisa da minha cabeça...!!!







O PSDB de São Paulo divulgou na noite desta quarta-feira uma nota em que acusa o PT de usar o acidente no Metrô, nesta manhã, "para fazer política partidária e atacar o governo com inverdades". "Ao invés de se solidarizar com a população paulista, o PT utiliza de falácias para tentar alavancar seu candidato à prefeitura de São Paulo (o ex-ministro da Educação Fernando Haddad)", diz a sigla. Após o choque entre dois trens da Linha 3-Vermelha, a bancada petista na Assembleia paulista divulgou um levantamento com base no Sistema de Acompanhamento da Execução Orçamentária (Siego) apontando que o governo não usou quase a metade (43%) do valor anunciado em investimentos para o Metrô entre 2003 e 2011. De acordo com o balanço da oposição, no período, o Estado anunciou que investiria R$ 17,1 bilhões no Metrô, mas gastou apenas R$ 9,8 bilhões - ou seja, quase R$ 7,3 bilhões deixaram de ser gastos na área. O "diagnóstico" seria divulgado no final do mês, mas foi antecipado nesta quarta. "O governo de São Paulo investe pesadamente no Metrô, em nível só comparado ao da China", diz o PSDB na nota assinada pelo presidente do Diretório Estadual, deputado Pedro Tobias, e pelo presidente do Diretório Municipal, deputado Julio Semeghini. "Tudo isso foi feito pelos governos do PSDB, sem um real em auxílio do governo federal do PT nos últimos nove anos. Os recursos federais que entraram nos cofres paulistas foram apenas por linhas de crédito, pagas, com juros e correção, pelo governo de São Paulo por meio da arrecadação de impostos do contribuinte paulista e só possíveis de serem obtidas graças à boa administração estadual, que ainda permite que o Estado tenha margem para endividamento."
Sem Comentarios...

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Mayara Petruso a estudante racista é condenada a 1 ano, 5 meses e 15 dias de prisão.


Mayara Petruso é condenada por racismo



A estudante Mayara Penteado Petruso foi condenada a 1 ano, 5 meses e 15 dias de prisão pelo crime de racismo contra os nordestinos.

A ofensa foi cometida pelo Twitter no dia 31 de outubro de 2010, logo após a vitória eleitoral da petista Dilma Rousseff sobre o tucano José Serra.

"Nordestisto (sic) não é gente. Faça um favor a Sp: mate um nordestino afogado!", escreveu a estudante pela rede social.

A pena contra ela foi convertida em prestação de serviço comunitário e pagamento de multa. A decisão foi tomada pela juíza da 9ª Vara Federal Criminal em São Paulo, Mônica Aparecida Bonavina Camargo.

Em sua defesa, Mayara admitiu a publicação da mensagem e disse que foi motivada pelo resultado das eleições presidenciais.

Ela afirmou que não tinha a intenção de ofender (?), que não é preconceituosa (??) e que não esperava tamanha repercussão. De acordo com o processo, Mayara disse estar envergonhada e arrependida.

A reportagem ligou para o advogado dela, mas não foi atendida.

Estudante de Direito, Mayara perdeu o emprego em um escritório de advocacia após o episódio. Ela também teve que mudar de cidade e abandonar a faculdade.

"O que se pode perceber é que a acusada não tinha previsão quanto à repercussão que sua mensagem poderia ter. Todavia, tal fato não exclui o dolo", afirma a juíza na decisão.

A juíza estabeleceu a pena abaixo do mínimo legal já que Mayara sofreu consequências com a infração. "Foram situações extremamente difíceis e graves para uma jovem" (tadinha...), diz Bonavina Camargo.


Leia mais em: O Esquerdopata: Mayara Petruso é condenada por racismo
Under Creative Commons License: Attribution

Dilma chora ao lembrar mortos na ditadura.


Dilma disse que a Comissão da Verdade não tem "o desejo de reescrever a história"

A presidente da República, Dilma Rousseff, chorou na manhã desta quarta-feira (16) ao lembrar os mortos e desaparecidos durante a ditadura militar. A presidente se emocionou durante a posse dos integrantes da Comissão da Verdade, em cerimônia no Palácio do Planalto.

-- O Brasil merece a verdade. As novas gerações merecem a verdade. E, sobretudo, merecem a verdade factual aqueles que perderam amigos e parentes e continuam sofrendo como se eles morressem sempre a cada dia.

A Comissão da Verdade foi criada para investigar as violações aos direitos humanos no período de 1946 a 1988. O período inclui a ditadura militar (1964-1985), que deve ser o foco principal dos trabalhos. Ao fim de dois anos, o grupo que compõe a comissão irá produzir um relatório com análise, conclusão e recomendação sobre os crimes cometidos.

Para não criar atritos com as Forças Armadas, a presidente refutou o que chamou de "revanchismo".

— Ao instalar a Comissão da Verdade, não nos move o revanchismo, o ódio ou o desejo de reescrever a história de uma forma diferente do que aconteceu. Nos move a necessidade imperiosa de conhecê-la [a verdade] em sua plenitude, sem ocultamento.

Dilma foi aplaudida de pé quando falou sobre a importância de estar acompanhada dos ex-presidentes que a antecederam. Ela lembrou o ex-presidente Itamar Franco e lamentou sua ausência. Falou sobre a atuação de Tancredo Neves na transição da ditadura para a democracia e do trabalho de José Sarney.

A presidente disse ainda que a comissão é instalada enquanto ela preside o país, mas que ela reconhece que todo o processo começou muito antes com a abertura de documentos no governo Collor e na Lei da Comissão Especial sobre mortos e desaparecidos aprovada no governo FHC.

Dilma citou Ulysses Guimarães no início do discurso, lembrando que a verdade é fundamental para a democracia.

-- O Brasil não pode se furtar a conhecer totalidade de sua história. Trabalhemos juntos para que o país conheça e se aproprie da totalidade de sua história. A ignorância da história não pacifica, mantém latente mágoas e rancores.

O grupo foi anunciado na última quinta-feira (10), quase seis meses depois da aprovação da lei que cria a Comissão no Congresso Nacional.

Os sete integrantes do grupo são: o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Gilson Dipp, o ex-ministro da Justiça, José Carlos Dias, o ex-Procurador-Geral da República, Claudio Fontelles, a advogada de Dilma na ditadura, Rosa Maria Cardoso da Cunha, o diplomata e acadêmico Paulo Sérgio Pinheiro, a psicanalista Maria Rita Kehl e o jurista e escritor José Paulo Cavalcanti Filho.

Durante as investigações, a comisão poderá requisitar informações a órgãos públicos, inclusive sigilosas, convocar testemunhas, realizar audiências públicas e solicitar perícias. A comissão não terá poder, no entanto, para levar eventuais responsáveis à Justiça.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Mais uma vez o PIG tenta mudar a história...Todo apoio ao Emicida e a liberdade de expressão!


Emicida na delegacia sentado ao lado de um PM
O rapper Emicida, foi detido no início da noite deste domingo por prática de censura das autoridades de Belo Horizonte (MG). O ato ocorreu após o show que realizou, gratuitamente, no festival Palco Hip Hop.
Por ter cantado a música "Dedo na Ferida" que faz críticas a polícia, ele foi encaminhado à delegacia. Segundo o poder constituído e apodrecido, o rapper incitou o público a se manifestar contra a PM e políticos. A música foi composta após a criminosa desocupação do bairro Pinheirinho, em São José dos Campos (interior de São Paulo), no dia 22 de janeiro.
No dia em que o país comemorou 124 anos da abolição da escravatura, ainda é possível verificar o preconceito e a discriminação aos negros na nossa sociedade. Se o mesmo fato ocorresse com algum cantor branco e/ou com origem oligárquica, o mesmo ocorreria? Duvido!

Confira o clipe abaixo:


Além disso, mais uma vez, o PIG chamou a atenção pela sua, no mínimo, estranha atitude. O site do "jornal" Folha de São Paulo alterou a manchete da notícia sobre Emicida conforme imagem abaixo.

Qual teria sido o motivo da alteração realizada por essa empresa de comunicação que apoiou o golpe militar de 1964 e colaborou com os torturadores da ditadura militar?


Do Blog Mídia Caricata

Punição aos torturadores e assassinos da ditadura! Levante Popular da Juventude.


2ª Rodada Nacional de Esculachos - Levante Popular da Juventude
#levantecontratortura
Mídia Caricata

domingo, 13 de maio de 2012

Assessor de Kassab compra 106 imóveis em 7 anos. "MINHAS CASAS, MINHA VIDA"

O diretor responsável pela aprovação de empreendimentos imobiliários de São Paulo durante a maior parte da gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD) adquiriu 106 imóveis nos poucos mais de sete anos em que esteve no cargo. É o que informa a reportagem de Evandro Spinelli e Rogério Pagnan no vídeo abaixo.


Com renda mensal declarada de R$ 20 mil, entre rendimentos de aluguéis e salário bruto na prefeitura de R$ 9.400 (incluindo uma aposentadoria), Hussain Aref Saab, 67, acumulou, de 2005 até este ano, patrimônio superior a R$ 50 milhões. São pelo men­­­os 118 imóveis incluindo 24 vagas de garagem extras.
A explosão patrimonial de Aref, como é conhecido, foi identificada pela Folha em levantamento feito nos últimos 45 dias em cartórios da Grande São Paulo, do litoral e parte do interior do Estado.

Entre seus imóveis há, por exemplo, meia dúzia de apartamentos num prédio com vista para o Parque Ibirapuera. Esses imóveis estão estimados, no total, em R$ 4 milhões.

Outros detalhes da reportagem poderão ser vistos na edição desta segunda-feira (14) da Folha.
Extraido da Folha.com http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/videocasts/1089561-diretor-de-kassab-compra-106-imoveis-em-7-anos-veja-video.shtml

Revista Veja ‘brilha no Twitter’ durante 10 horas, em manifestação recorde.

A resposta dos ativistas digitais às manipulações e à arrogância da Veja foi incisiva, barulhenta. Segundo balanço parcial, mais de 25 mil mensagens foram postadas no twitter contra a revista.


#vejatemmedo roberto civita cpmi cachoeira
Protesto na rede exigiu a convocação de Roberto Civita à CPMI do Cachoeira, além de questionar o papel exercido por Veja enquanto veículo de comunicação no Brasil

Altamiro Borges, em seu blog

Desesperada, a revista Veja desta semana decidiu partir para o ataque com o nítido propósito de impedir a convocação dos capos da famiglia Civita para depor na CPI do Cachoeira. Malandra, alardeou na sua capa que a “imprensa acende a luz”, tentando agregar a máfia midiática, e escolheu seu alvo: a blogosfera e as redes sociais. Acusou os ativistas digitais de “insetos”, “robôs” e “petralhas amestrados”. Mas ela se deu mal. Pela terceira vez em menos de um mês, a revista foi desmascarada e desmoralizada no twitter.
O protesto virtual deste sábado (12) foi impressionante. Marcado para as 18 horas, antes do meio-dia a hashtag #VejaComMedo já ocupava o primeiro lugar nos trending topics – do Brasil e do mundo. Como estranhamente houve o sumiço da hashtag, numa ação encarada por alguns internautas como censura do twitter, ela foi mudada para #VejaTemMedo e voltou a ocupar o primeiro lugar no Brasil. A publicação da famiglia Civita “brilhou” na rede por quase dez horas – um recorde.

Leia mais

Justiça condena revista Veja a dar Direito de Resposta a Luis Nassif

A resposta dos ativistas digitais às manipulações e à arrogância da Veja foi incisiva, barulhenta. Segundo balanço parcial, mais de 25 mil mensagens foram postadas no twitter contra a revista. Em tom irônico, os “insetos” e “robôs” da internet deram uma surra na publicação da família Civita. Ela hoje não fala mais sozinha para a sociedade, não manipula corações e mentes impunemente. Metida a poderosa, a revistinha associada ao crime organizado e à direita hidrófoba virou um insetinho nojento e repugnante!