MPB

sábado, 25 de maio de 2013

A quem interessava os boatos sobre o programa Bolsa Familia e olhe que 2014 nem começou.

PF diz que empresa de telemarketing do RJ espalhou boato sobre o Bolsa Família

No último fim de semana, a Caixa registrou 920 mil saques de beneficiários do programa.
Do R7
A PF (Polícia Federal) descobriu durante as investigações sobre o boato espalhado no último final de semana de que o Bolsa Família iria acabar que a origme das informações é uma central de telemarketing com sede no Rio de Janeiro.
Uma mensagem de voz distribuída pela central anuncia aos ouvintes beneficiários o fim do programa, conforme dados do inquérito aberto no início da semana a partir de uma determinação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. A descoberta reforça a tese de que a ação tenha sido organizada. As informações são do jornal O Globo.
O boato provocou correria às agências da Caixa Econômica Federal. Somente no último final de semana, a Caixa Econômica Federal registrou 920 mil saques de beneficiários do programa. As informações desencontradas sobre o pagamento do Programa Bolsa Família provocaram uma corrida às agências que levou os beneficiários a sacarem R$ 152 milhões.
Leia mais notícias no R7

A polícia tentará agora descobrir quem contratou os serviços de telemarketing e se, de fato, existe algum grupo com interesse político-eleitoral por trás da tentativa de se assustar os beneficiários do Bolsa Família. A polícia decidiu também interrogar, a partir da próxima semana, as 200 primeiras pessoas a fazer saques logo após o início da disseminação dos boatos sobre o fim dos programas.
A PF também já tem informações sobre pessoas que receberam telefonemas no último final de semana com mensagens sobre o fim do Bolsa-Família.
A PF não confirma o número de pessoas identificadas, mas diz que dispõe de informações sobre a possibilidade do boato ter surgido a partir de ligações originadas por telemarketing.

A Caixa ficou de repassar nesta sexta-feira (24) à Divisão de Crimes Cibernéticos da PF, responsável pelas investigações, as informações relativas aos dois primeiros saques feitos após a disseminação do boato. Os dados podem ajudar a localizar a origem dos rumores.

Após o ocorrido, o governo federal disse que vai passar a fazer um monitoramento "mais fino"  dos saques feitos por beneficiários do Programa Bolsa Família durante os finais de semana.
Segundo a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, a medida vai se somar a outros mecanismos de controle do pagamento dos benefícios.
A finalidade é permitir uma resposta mais rápida a problemas como os tumultos do último fim de semana em agências bancárias da Caixa Econômica Federal e lotéricas de 12 Estados.
Leia + aqui...

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Professores municipais decidem encerrar greve em São Paulo.

Professores aceitam proposta da prefeitura, que garantiu o pagamento imediato dos dias parados, com compromisso de reposição das aulas
por Nicolau Soares, especial para a RBA publicado 24/05/2013 19:27

Professores aceitam proposta da prefeitura, que garantiu o pagamento imediato dos dias parados, com compromisso de reposição das aulas
Marlene Bergamo/Folhapress
professores
Professores terão 10,19% a partir de 1º de maio e mais 13,43% no ano que vem, conforme acordos anteriores
São Paulo - Os professores municipais de São Paulo decidiram em assembleia realizada na tarde de hoje (24) encerrar a greve da categoria, iniciada no dia 2. A decisão veio depois de nova negociação entre os professores e a prefeitura, que manteve sua proposta de reajuste salarial e questões relativas à melhoria das condições de trabalho e concordou com o não desconto imediato dos dias parados dos grevistas, mediante o compromisso de reposição das aulas em cronograma a ser discutido em cada escola.
“Não conseguimos tudo, mas a luta pode ser feita em etapas. E se voltássemos para a sala de aula com o desconto dos dias parados iria demorar para recompor o movimento”, afirmou Cláudio Fonseca, presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal (Sinpeem), que criticou a ausência de greve em outras categorias do funcionalismo. “Somos 29 entidades, mas só duas foram para a rua. A luta dos profissionais da Educação continua e vamos lembrar a nossos colegas que tinham que ser solidários e lutar conosco.”
Para o presidente do Sindicato dos Professores e Funcionários Municipais de São Paulo (Aprofem), Isamel Nery Palhares, foi um dia histórico. “Reitero minha satisfação de estarmos juntos nesse movimento”, disse.
A negociação contou com a presença dos secretários municipais de Educação, Cesar Callegari, de Governo, Antonio Donato, de Esportes, Celso Jatene, e do vereador Reis (PT), presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, que realizou uma reunião com o secretario na tarde de hoje.
"Desde o início do processo de negociação, o governo já vinha confirmando sua posição de dar aumentos de 10,19% aos educadores a partir de 1º de maio desde ano e mais 13,43% em maio do ano que vem. Isso está sendo e será cumprido", afirma a Prefeitura em nota oficial, referindo-se a valores negociados pelos professores em campanhas salariais anteriores mas que serão aplicados agora. A proposta inclui também um compromisso do governo de conceder um aumento linear para todo o funcionalismo de 11,46% dividido em três anos, a partir de 2014.
"Além disso, todas as 10 medidas de melhoria da Educação e das condições de trabalho dos educadores anunciadas em documento já apresentado anteriormente foram confirmadas hoje e aprovadas na assembleia dos sindicatos", completa o texto da Secretaria de Educação.
A proposta aprovada pelos professores inclui o encaminhamento para a Câmara, no prazo de 45 dias, de projeto de lei para acrescentar duas referências na carreira dos professores e gestores, considerando o limite de 25 anos de trabalho; criação de 1.200 cargos de professor de Educação infantil; implementação do Sistema Municipal de Formação de Educadores; contratação de novos Auxiliares de Vida Escolar (AVE) e estagiários de pedagogia para apoio de professores na educação inclusiva; construção de dois Grupos de Trabalho com participação dos educadores para definir políticas para melhorar a saúde dos professores e a segurança nas escolas; entre outros pontos.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Obra completa de Paulo Freire grátis para download.

Acervo digital disponibiliza toda a obra de Paulo Freire. Estão disponíveis para download gratuito vídeos de aulas, conferências, palestras, entrevistas, artigos e livros do educador

paulo freire obra download
Obra de Paulo Freire está disponível na internet. (Foto: Reprodução)
O Centro de Referência Paulo Freire, dedicado a preservar e divulgar a memória e o legado do educador, disponibiliza vídeos das aulas, conferências, palestras e entrevistas que ele deu em vida. A proposta tem como objetivo aumentar o acesso de pessoas interessadas na vida, obra e legado de Paulo Freire.
Para os interessados em aprofundar os ensinamentos freirianos, o Centro de Referência também disponibiliza artigos e livros que podem ser baixados gratuitamente.

Educação como liberdade

Internacionalmente respeitado, os livros do educador foram traduzidos em mais de 20 línguas. No Brasil, tornou-se um clássico, obrigatório para qualquer estudante de pedagogia ou pesquisador em educação. Detentor de pelo menos 40 títulos honoris causa (concedidos por universidades a pessoas consideradas notáveis), Freire recebeu prêmios como Educação para a Paz (Nações Unidas, 1986) e Educador dos Continentes (Organização dos Estados Americanos, 1992).

Leia também

“Defendo a educação desocultadora de verdades. Educando e educadores funcionando como sujeitos para desvendar o mundo”, dizia Freire. A educação como prática da liberdade, defendida por ele, enxerga o educando como sujeito da história, tendo o diálogo e a troca como traço essencial no desenvolvimento da consciência crítica.
Clique aqui para acessar o acervo Paulo Freire
Acervo Paulo Freire

quarta-feira, 22 de maio de 2013

POR UNANIMIDADE, CÂMARA APROVA REAJUSTE DOS SERVIDORES EM SEGUNDA VOTAÇÃO.

POR UNANIMIDADE, CÂMARA APROVA REAJUSTE DOS SERVIDORES EM SEGUNDA VOTAÇÃO

Substitutivo do Projeto de Lei 155/2012, proposto pelo prefeito Fernando Haddad, garante reajustes a cerca de 200 mil servidores municipais. Medida garante elevação dos pisos dos servidores de nível básico em 79,8% e do nível médio em 42,5%

A Câmara Municipal aprovou nesta terça-feira (21) por unanimidade, em segunda votação, o substitutivo do Projeto de Lei 155/2012 encaminhado pelo prefeito Fernando Haddad que garante reajuste salarial para cerca de 200 mil servidores municipais. 

O projeto, que teve 51 votos a favor e nenhum contra ou abstenção, abrange servidores da Educação, serviço funerário, zoonoses, Instituto de Previdência Municipal, Hospital do Servidor Público, autarquias municipais, secretarias da prefeitura e subprefeituras.

A proposta, que ainda será encaminhada para sanção do prefeito para que passe a valer, garante aumento de 79,8% no piso de todos os servidores de nível básico, passando dos atuais R$ 630 para R$ 1.132,50 e, também, a elevação de 42,5% no piso dos funcionários públicos municipais de Nível Médio, subindo de R$ 968,61 para R$ 1.380.

Estão contemplados ainda no projeto aprovado pelos vereadores o reajuste de 71,4% do padrão de vencimentos do Plano de Cargos Carreiras e Salários (PCCS) de nível básico, que passa de R$ 440,39 para R$ 755, e aumento de 42,5% no padrão de vencimentos de nível médio - de R$ 645,74 para R$ 920.

Só essa medida atinge mais de 60 mil servidores municipais, sendo quase 8 mil só para funcionários da Educação, que ainda tiveram garantido no projeto reajuste de 10,19% a partir de maio deste ano.

O projeto aprovado estabelece reajuste de 0,01%, retroativo a maio de 2011, mais 0,82% referente a novembro de 2011. Os valores do período entre 1º de maio de 2011 e 30 de abril de 2013 serão pagos em duas parcelas, em agosto deste ano e agosto de 2014.

Um modo novo de governar, valeu Prefeito Fernando Haddad.


Substitutivo do Projeto de Lei 155/2012, proposto pelo prefeito Fernando Haddad, garante reajustes a cerca de 200 mil servidores municipais. Medida garante elevação dos pisos dos servidores de nível básico em 79,8% e do nível médio em 42,5%

A Câmara Municipal aprovou nesta terça-feira (21) por unanimidade, em segunda votação, o substitutivo do Projeto de Lei 155/2012 encaminhado pelo prefeito Fernando Haddad que garante reajuste salarial para cerca de 200 mil servidores municipais. 

O projeto, que teve 51 votos a favor e nenhum contra ou abstenção, abrange servidores da Educação, serviço funerário, zoonoses, Instituto de Previdência Municipal, Hospital do Servidor Público, autarquias municipais, secretarias da prefeitura e subprefeituras.

A proposta, que ainda será encaminhada para sanção do prefeito para que passe a valer, garante aumento de 79,8% no piso de todos os servidores de nível básico, passando dos atuais R$ 630 para R$ 1.132,50 e, também, a elevação de 42,5% no piso dos funcionários públicos municipais de Nível Médio, subindo de R$ 968,61 para R$ 1.380.

Estão contemplados ainda no projeto aprovado pelos vereadores o reajuste de 71,4% do padrão de vencimentos do Plano de Cargos Carreiras e Salários (PCCS) de nível básico, que passa de R$ 440,39 para R$ 755, e aumento de 42,5% no padrão de vencimentos de nível médio - de R$ 645,74 para R$ 920.

Só essa medida atinge mais de 60 mil servidores municipais, sendo quase 8 mil só para funcionários da Educação, que ainda tiveram garantido no projeto reajuste de 10,19% a partir de maio deste ano.

O projeto aprovado estabelece reajuste de 0,01%, retroativo a maio de 2011, mais 0,82% referente a novembro de 2011. Os valores do período entre 1º de maio de 2011 e 30 de abril de 2013 serão pagos em duas parcelas, em agosto deste ano e agosto de 2014.

domingo, 19 de maio de 2013

A quem interessa o pânico entre os mais pobres?

:

 Em 2012, um falso boato sobre o cancelamento das provas do Enem tumultuou as eleições municipais; agora, a mentira diz respeito ao fim do Bolsa Família, o que provocou uma corrida às agências da Caixa em 12 estados brasileiros e obrigou o governo a prestar informações em pleno domingo; será que já começou o terrorismo político de 2014? PF entra no caso
19 de Maio de 2013 às 19:11