MPB

sábado, 28 de janeiro de 2012

Repórter se emociona ao entrevistar as famílias expulsas do Pinheirinho (SP).



O jurista Walter Maierovitch conversa com Heródoto Barbeiro e Andrea Beron sobre a reintegração de posse no Pinheirinho em São José dos Campos (SP).

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O Pinheirinho e a afronta ao Estado de Direito.


Por MarioLan
O governo paulista, sob os auspícios do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, cometeu, no último domingo, uma absurda afronta ao Estado de Direito brasileiro. Para patrocinar a demanda milionária de uma falida e proteger o capital do megaespeculador Naji Nahas, que, diga-se de passagem, tem dinheiro mais do que suficiente para pagar seus credores sem ter que dispor daquele imóvel, custeou material e socialmente a desocupação do Pinheirinho em São José dos Campos, desalojando de suas moradias ao menos nove mil pessoas, entre os quais doentes, crianças, velhos, mulheres e desempregados, apenas para citar os mais frágeis. Ante uma análise não muito profunda do que diz a lei, evidencia-se que a interpretação do judiciário paulista e seu governo é mera protetora de amigos endinheirados. Isso que digo não se trata de mera especulação, pois as leis que citaremos são claras, não carecem de interpretação e o governador Alckimin e o presidente do Tribunal de Justiça, de quem se espera que conheçam a lei, assistiram de perto a tragédia social daquela manhã.

Todos que tratam diariamente com leis sabem que o interesse social se sobrepõe ao interesse privado, elemento que por si só já seria o bastante para que não houvesse o desalojamento das 1700 famílias, deixando-as ao relento, coisa que nem Hitler permitiu em seus campos de concentração. A lei civil brasileira é a regra que trata de interesse entre particulares, então, quem deve custear o seu cumprimento é o particular e é isso que determina o artigo 475-O da Lei dos processos, assim, o dono da área deveria oferecer as condições que a própria lei determina para que houvesse a desocupação.

O Estatuto da Criança e do Adolescente não deixou de ter vigência ante a ordem de desocupação. As mais de duas mil crianças e tantos adolescentes, tiveram seus direitos de primazia, precedência, preferência, privilégio e proteção integral, que são resguardados pelo ECA, violados. Suas vidas e saúde (art. 7º) foram e estão ameaçados, seus direitos de ir, vir, opinião e expressão, crença e culto, brincar, praticar esportes e divertir-se, participar da vida familiar e comunitária sem discriminação, participar da vida política, buscar refúgio, auxílio e orientação (art. 16), entre outros não mais existem. O governador, o Tribunal de Justiça, o Ministério Público Estadual, a Polícia Militar tinham e têm a obrigação de proteger as crianças e os adolescentes (art. 4º) e nada fizeram, sequer exigiram os meios necessários para atendimento dessa obrigação legal, que deveria ser custeada pelo dono do processo, não pelo Estado. Não podemos esquecer que o Estatuto do Idoso diz que qualquer atentado contra seus direitos será punido (art. 4º) e dita direitos idênticos àqueles garantidos pelo ECA às crianças, obrigações cujo cumprimento e exigência são obrigações das autoridades do Estado. Assim, o dono do terreno deveria ter no mínimo oferecido alojamento, condições de que as crianças e os velhos ficassem protegidos e junto à suas famílias, garantir alimentação, guarda dos bens e proteção integral às suas vidas e saúde, sem o que jamais se poderia ter sido efetuada a reintegração de posse. Por outro lado, o Código Civil, no artigo 1228, diz que o Juiz poderia simplesmente ter negado a desocupação e decretado a desapropriação judicial mediante indenização pelo Estado, já que o imóvel atendia a relevante interesse social. Alia-se a isso o princípio da dignidade da pessoa humana e a obrigatoriedade do cumprimento de função social da propriedade e direito à moradia que são garantidos nos artigos 1º e 5º da Constituição do Brasil, que foi literalmente rasgada pelo judiciário paulista.

Pura emoção, canção "O porto" com RABERUAN

Nessa noite de chuva, frio e saudade, são quase dois meses dessa dor que não passa.


...lembro bem que no dia cheguei atrasado ao
estúdio dos Mi’s, pai e filho, e quando entrei,
surpreendi Cléston Teixeira, Mizão e Mizinho de
Carvalho, Raberuan e Silvio Kono mergulhados
no mais comovente dos silencios. Julguei ter
visto lágrimas furtivas nos olhos de Cléston e
Raberuan e perguntei o que acontecera, ao que
Mizinho respondeu apenas apertando o play no
“Porto” que tinha acabado de ser gravada.
Do Blog do Akira

Artistas criticam truculência do Estado em premiação e Alckmin passa vexame.


Vídeo mostra manifesto lido por pelos diretores do filme "Trabalhar Cansa" durante premiação com presença do governador

26/01/2012

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

O Massacre de Pinheirinho: A verdade não mora ao lado.


Este vídeo revela os jogos de interesses na expulsão dos 9.000 moradores da ocupação Pinheirinho, de 8 anos, em São José dos Campos. Traz, também, imagens do dia da desocupação (22/01) e depoimentos sobre a truculência policial.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

chamusca mas nao queima: Artistas da Globels: do movimento gota dàgua ao Pinheirinho.

chamusca mas nao queima: Artistas da Globels: do movimento gota dàgua ao Pinheirinho.

De que lado você esta?


PT divulga nota em solidariedade aos ocupantes do Pinheirinho

PT divulga nota em solidariedade aos ocupantes do Pinheirinho

Época compra briga inglória com a Gaviões .



Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência da República e Dida Sampaio/Agência Estado

Ao contestar homenagem da escola de samba corintiana a Lula, revista da editora Globo revela preconceito e expõe os bastidores da própria publicação; diretor Hélio Gurovitz teria interrompido férias para alterar texto de repórter22 de Janeiro de 2012 às 14:00

247 – Mestre-sala, porta-bandeira, baianas e... mensaleiros. De acordo com a revista Época, da Editora Globo, esta é a ala que falta no próximo desfile da Gaviões da Fiel, que, em 2012, decidiu homenagear o ex-presidente Lula. Uma homenagem natural, diga-se de passagem, uma vez que Lula garantiu um dos principais sonhos da chamada nação corintiana: o estádio próprio, que está sendo construído em Itaquera e irá abrir a Copa do Mundo de 2014. Além disso, deixou o governo com aprovação recorde.

Ao contestar a homenagem da Gaviões, a revista Época deu um tiro no pé. Expôs os bastidores da publicação, pois o diretor de redação, Hélio Gurovitz, foi acusado de interromper suas férias para editorializar o texto produzido pela repórter Mariana Sanches, pesando a mão contra o ex-presidente Lula.

Em nota, a Gaviões da Fiel se manifestou sobre a reportagem. Leia abaixo:

Nós, dos Gaviões da Fiel, repudiamos o conteúdo da matéria publicada pela revista Época, em 21/01/12, em sua edição de nº 714, cujo título é “Cadê a Ala dos Mensaleiros”,e fazemos a questão de apresentar os fatos da forma mais clara e verdadeira possível.

Em meados de novembro, fomos procurados pela “repórter” Mariana Sanches, que nos solicitou uma visita sob a alegação de estar escrevendo uma matéria a respeito do Carnaval 2012. Prontamente recebemos a repórter, que alegava ser essa sua principal e grande matéria e que queria explorar ao máximo para conseguir um destaque com a mesma.

Em função disso e por respeito à profissional, abrimos as portas de nossa quadra e permitimos que algumas imagens fossem feitas em nosso barracão, concedemos entrevista exclusiva com nosso Carnavalesco e com nosso Presidente e nos colocamos a disposição para ajudá-la na conclusão da matéria desde que a mesma nos fosse apresentada antes da publicação.

Porém, infelizmente, usando da má fé característica dos maus profissionais, percebemos ao longo do caminho que a jornalista Mariana Sanches passou a dar um tom tendencioso e de especulação à matéria por meio de contatos – que não sabemos como obteve – com diversas pessoas ligadas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sob a alegação de estar escrevendo uma matéria a respeito do desfile dos Gaviões.

No entanto, ao ter acesso ao conteúdo final da matéria, constatamos tratar-se mais uma vez de uma agressão gratuita e infundada ao nosso homenageado e, consequentemente, ao processo de construção do carnaval da nossa entidade, que escolheu o enredo sem levantar nenhuma bandeira política ou partidária. O maior objetivo da escolha do tema é a homenagem ao povo brasileiro e aos Corinthianos, através da figura emblemática do ex-presidente Lula, assim como consta na explicação do nosso enredo (clique aqui e saiba mais). Mas não nos surpreende que tal veículo insista em tentar descontextualizar os fatos e criticar o Lula.

A nós, tal episódio só fortalece para que levemos à avenida em destaque estes e outros motivos que fazem com que nosso homenageado tenha sido escolhido como o retrato da nossa NAÇÃO e isso independe da vontade de qualquer veículo de comunicação que queira descontextualizar a homenagem que levaremos à avenida neste carnaval.

Confira também reportagem anterior do 247 sobre a homenagem da Gaviões a Lula:

A escola de samba Gaviões da Fiel definiu na madrugada deste sábado (8), o samba-enredo para o carnaval 2012. O hino oficial em homenagem ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que será levado para a passarela do Anhembi, terá como enredo: "Verás que o filho fiel não foge à luta - Lula o retrato de uma nação".

Quatro sambas chegaram à finalíssima, depois de cinco semanas consecutivas de disputa entre 16 obras que se apresentaram acompanhadas pela bateria "Ritimão". O carnavalesco Igo Carneiro disse que "o enredo trata de uma figura (ex-presidente Lula) com a qual a nação corintiana se identifica por ser corintiano e pela trajetória de superação. De acordo com ele, a disputa foi uma das mais acirradas dos últimos anos, por causa da qualidade. A decisão, por volta das 5 horas, coube à diretoria, em voto de Minerva. "Queríamos que o samba também fosse um canal de identificação com o torcedor, que o faça cantar na avenida", afirmou Carneiro.

A madrinha da escolha, Sabrina Satto, participou das apresentações. A expectativa é de que Lula esteja presente na festa de lançamento das fantasias, com data ainda indefinida. O primeiro ensaio do samba-enredo vai ocorrer no próximo fim de semana. Em 2012, o samba da Gaviões da Fiel levará a assinatura dos autores: Grandão, Batata, Netinho, Max, Dentinho, Luciano, Mariano Araújo e Magrão R1. Confira abaixo a letra:



"Vai meu gavião...
Cantando a saga do menino sonhador
Um filho do sertão, cabra da peste... Irmão
Que deus pai iluminou!
Trouxe no sangue a coragem, a fé
O poder regendo seu destino!
Na cidade grande a esperança... O futuro promissor!
Traçou seu o caminho
Cresceu foi à luta... Prá vencer
E o sonho se torna real
Luiz Inácio o operário nacional!
Companheiro fiel... Por liberdade
Na corrente do bem... Contra a maldade!
Elo forte da democracia
A luz da nossa estrela guia!
Viu... No coração do Brasil
Tanta desigualdade
O retrato da realidade
A utopia buscando a dignidade!
Solta o grito da garganta e vem comemorar
A soberania popular
Felicidade...
O povo unido venceu
A cidadania resplandeceu
Uma nova era aconteceu!
Sou da nação, sou valente e festeiro
Corinthiano loucamente apaixonado!
Em oração a São Jorge guerreiro
Peço que o brasileiro seja sempre abençoado!"


http://www.brasil247.com.br/pt/247/poder/37207/Época-compra-briga-inglória-com-Gaviões-da-Fiel.htm