MPB

sábado, 27 de julho de 2013

Assistam esse video...O Negócio da Revolução "EUA financiam “protestos de jovens” no mundo inteiro". Se necessario acionem as legendas!


Denúncia: EUA financiam “protestos de jovens” no mundo inteiro

Enviado por on 25/07/2013 – 4:56 pm 11 comentários
Espero que após assistir o documentário abaixo, legendado em português, os brasileiros acordem para a possibilidade de sermos vítimas de uma revolução “delivery”, planejada por consultores estrangeiros interessados em desestabilizar o país.
Segue o comentário da leitora, seguido do vídeo sugerido por ela:
Por Patrícia SemMidia
Tenho falado nisso desde o dia 20 de junho… de lá pra cá tenho pesquisado um pouco… e olha o que eu achei… um doc que fala de uma organização especializada em promover protestos “de esquerda” para desestabilizar sociedades refratárias a globalização. nesse doc ( não é uma teoria the conspiração) mostra que o grupo de jovens que derrubou Melosevic foi cooptado por Washington… a serviço das grandes corporações americanas… vale a pena ver. pena que não está legendado… fiquei estarrecida com o que é revelado eles estão em 37 países e empenhados a criar um clima de constante protesto… de modo a desorganizar economicamente a aí abrir espaço para o poderio estadunidense dominar… e o pior eles se infiltram entre os jovens… programaram um game para ajudar como se faz protestos…. nesse doc há depoimentos de estudantes egípcios, tunisianos denunciando tudo…
O Cafezinho

segunda-feira, 22 de julho de 2013

O país só perde com isso...AfroReggae suspende atividades. Até quando estaremos nas mãos do crime organizado, será que alguém ira para as ruas para protestar?

AfroReggae suspende atividades no Complexo do Alemão após ameaças

21/7/2013 18:26
Por Redação - do Rio de Janeiro

José Júnior, coordenador do AfroReggae, teme pela vida dos colaboradores da instituição
José Júnior, coordenador do AfroReggae, teme pela vida dos colaboradores da instituição
Há 12 anos instalada no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, a organização não governamental (ONG) AfroReggae decidiu encerrar as atividades no local, após sofrer ameaças de traficantes, segundo reportagem publicada neste domingo na Revista Forum. José Júnior, fundador do grupo também, afirmou, em entrevista à agência brasileira de notícias ABr, que o pastor Marcos Pereira, preso por suspeita de estuprar fiéis de sua igreja, é um dos comandantes do tráfico na região e responsável pelas ameaças que levaram ao fechamento da sede.
Júnior afirma que Pereira “é um dos líderes do crime no Rio”. Ainda sobre os incidentes que obrigaram o fim das atividades do AfroReggae, o fundador explica. “Recebemos ameaças de morte, disseram que iam matar a gente, pessoas inocentes, iam (jogar) bomba.”
– A gente não pode colocar ninguém em risco, por isso, decidimos fechar as portas – acrescentou Júnior.
Na última terça-feira, a sede do AfroReggae sofreu um incêndio, que está sendo investigado pela Polícia Civil. O Complexo do Alemão conta com uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), mesmo assim, José Junior afirma que se o grupo decidisse permanecer no Alemão, funcionários e usuários do projeto correriam riscos.
Conheça mais o trabalho da Ong Afroreggae

domingo, 21 de julho de 2013

15ª Conferência dos Bancários aprova reivindicações da Campanha 2013.

21/07/2013

 
Crédito: Jailton Garcia - Contraf-CUT
Jailton Garcia - Contraf-CUT Participaram 629 delegados, sendo 422 homens e 207 mulheres

Rede de Comunicação dos Bancários
Fábio Jammal e José Luiz Frare

A 15ª Conferência Nacional dos Bancários aprovou na plenária final, realizada neste domingo 21 em São Paulo, a estratégia, o calendário e a pauta de reivindicações da Campanha 2013, que terá como eixos centrais reajuste de 11,93% (inflação projetada do período mais aumento real de 5%), valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Diesse (R$ 2.860,21), defesa do emprego, fim da terceirização e combate às metas abusivas e ao assédio moral. A pauta de reivindicações será entregue à Fenaban no dia 30 de julho.

Participaram da Conferência, aberta na sexta-feira 19 no hotel Holiday Inn, 629 delegados de todo o país, dos quais 422 homens e 207 mulheres.

Para o presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro, a Campanha Nacional deste ano será muito forte. "Os bancários estão mais mobilizados que na greve do ano passado, inclusive pelo momento em que estamos vivendo. Esta Campanha não será apenas por questões corporativas, vamos lutar contra o PL 4330 da terceirização e por toda a pauta colocada pelas centrais sindicais. Também batalharemos pelas reformas que o país precisa, sobretudo a política e a tributária. E, claro, vamos continuar lutando pela realização da Conferência Nacional do Sistema Financeiro, pois temos de discutir que bancos queremos para o país. Agora, vamos à luta, pois todas as nossas conquistas só vieram com mobilização", resumiu Carlão.

Ousadia, unidade e mobilização

O presidente da Contraf-CUT destacou que a Conferência Nacional dos Bancários foi marcada pela unidade e participação. "Todas as forças que compõem o movimento sindical bancário participaram da Conferência, que foi bastante plural e produziu um debate muito rico", comentou.

Sobre as reivindicações dos bancários, Carlão destacou a valorização dos salários e do piso, a garantia de emprego e a importância de se melhorar as condições de trabalho. "Os bancários não aguentam mais as demissões e as péssimas condições de trabalho. Aliás, este ano, a luta contra o assédio moral e as metas abusivas terá um peso maior. Não podemos admitir que nossa categoria continue adoecendo física e psicologicamente por causa dos bancos", disse.

Principais reivindicações

Reajuste salarial de 11,93%: 5% de aumento real, além da inflação projetada de 6,6%;

PLR: três salários mais R$ 5.553,15;

Piso: R$ 2.860,21 (salário mínimo do Dieese);

Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 678 ao mês para cada (salário mínimo nacional);

Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoece os bancários;

Emprego: fim das demissões, mais contratações, aumento da inclusão bancária, combate às terceirizações, especialmente ao PL 4330 que libera geral e precariza as condições de trabalho, além da aprovação da Convenção 158 da OIT, que proíbe as dispensas imotivadas;

Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários;

Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós;

Prevenção contra assaltos e sequestros, com fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários;

Igualdade de oportunidades para bancários e bancárias, com a contratação de pelo menos 20% de trabalhadores afro-descendentes;

Agenda política

Os 629 delegados que participaram da conferência também aprovaram uma agenda política, com temas importantes da conjuntura nacional que precisam ser discutidos com os bancários e com a população. São eles:

* Combate sem tréguas ao PL 4330, que precariza as relações de trabalho.
* Reforma política, para democratizar o Estado.
* Reforma tributária, para corrigir injustiças.
* Marco regulatório da mídia visando democratizar as comunicações.
* Conferência Nacional do Sistema Financeiro.
* Investir 10% do PIB na educação.
* Investir 10% do orçamento em saúde.
* Transporte público de qualidade.

Calendário de luta

A 15ª Conferência aprovou ainda um calendário de luta que mescla o engajamento da categoria tanto na Campanha Nacional dos Bancários quanto na pauta de reivindicações da CUT e demais centrais sindicais. Confira:

Até 29/7 - Realização de assembléias para aprovar a pauta definida na 15ª Conferência.

30/7 - Entrega da pauta de reivindicações à Fenaban.

6/8 - Dia Nacional de Luta contra o PL 4330.

12 e 13/8 - Mobilizações em Brasília para convencer os parlamentares a rejeitarem o PL 4330.

22/8 - Dia Nacional de Luta dos Bancários, com passeatas no final do dia.

28/8 - Dia do Bancário, com atos de comemoração e de mobilização.

30/8 - Greve de 24 horas, em defesa da pauta geral dos trabalhadores apresentada ao governo e ao Congresso Nacional apresentada pela CUT e demais centrais sindicais.
Contraf