quinta-feira, 14 de julho de 2011

Um pouco mais sobre Ricardo Teixeira "Os canalhas também envelhecem..."





Do Blog do Vagner Freitas...sigam

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Sr.Governador "Conversa de malandro e a que esta no audío"

No Sábado, o governador negou qualquer tipo de denúncia e diz tratar de "Conversa de malandro". 


11/07/2011 - 12:51
EPTV
Baixe o Adobe Flash 
PlayerBaixe o Adobe Flash Player
Atualizada às 14h42
Sábado (9), em visita à região de Campinas, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse em entrevista coletiva que ligar o escândalo envolvendo empresas com contratos suspeitos com a Sanasa à Sabesp seria “tática de malandro”. Clique aqui para ouvir a fala do governador.
Mas investigações do Ministério Público apontam que empresários que são acusados de fraudar contratos com a Sanasa citaram a Sabesp em conversas telefônicas gravadas com autorização da Justiça.
Em um dos trechos o empresário Vanderlei Gregório fala com um sócio sobre um serviço não feito como deveria no Litoral Sul. A Hydrax, empresa dele, tem contrato com a Sabesp. A conversa aconteceu no dia 19 de abril, às12h37. Ouça a conversa no vídeo.
Em nota, a assessoria de imprensa da Sabesp informou que os dois contratos citados na reportagem foram encaminhados pela companhia ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), já que os valores superam R$ 3 milhões, e que "os processos encontram-se em fase de instrução, com manifestação da empresa, e aguardam apreciação daquela corte".

19/11/2008 (DF) - Brasil x Portugal e mais um escândalo da CBF.

Um desvio de 9 milhões, isso mesmo torcedor brasileiro, 9 milhões de Reais e parte desses trocados foram para na conta do Sr.Ricardo Teixeira o homem mais influênte do futebol mundial, o vidêo mostra alguns dos poucos bens que possui e ele sendo recebido na época pelo então Governador do Distrito Federal do PSDB(hoje cassado por recebimento de propina) José Roberto Arruda... Sabe lá Deus o que mais não sabemos, nós  meros mortais?

Luiz Carlos Azenha

João Paulo Rillo e Luiz Claudio Marcolino - "PT cobra investigação de contrato com a Sabesp".

A oposição deverá protocolar hoje duas representações no Ministério Público Estadual pedindo a investigação e explicações sobre contratos da Sabesp feitos com empresas ligadas ao empresário Gregório Wanderlei Cerveira – preso em 20 de maio por suposto envolvimento em contratos fraudulentos na empresa de saneamento de Campinas, a Sanasa.
A decisão foi tomada após o Jornal da Tarde divulgar escutas telefônicas nas quais o empresário e um de seus funcionários mostram-se preocupados com a possibilidade de notícias sobre o envolvimento no escândalo campineiro “contaminarem” contratos com a empresa estatal ligada ao governo paulista. No total, empresas e consórcios nos quais Cerveira tem participação possuem cerca de R$ 58 milhões em contratos com a Sabesp.
Encabeçados pelo líder da minoria na Assembleia Legislativa, João Paulo Rillo (PT), os 27 deputados da oposição vão cobrar da Promotoria apuração sobre possíveis atos de improbidade administrativa e eventuais prejuízos ao erário público. Além disso, outro documento será encaminhado ao procurador-geral de Justiça, Fernando Grella Vieira, pedindo “aprofundamento” nas investigações de contratos de estatais com empresas envolvidas nos suposto esquema de fraudes em Campinas.
“Nosso objetivo é que se investiguem todas as possíveis irregularidades em contratos dessas empresas com órgãos públicos”, afirmou Rillo, para quem a postura do MPE de investigar só o caso de Campinas é “estranha”.
Vice-líder da bancada petista na Assembleia, Luis Cláudio Marcolino(PT) disse que eventuais irregularidades devem ser esclarecidas em sua “totalidade”, não importando siglas ou posições políticas – em Campinas, um dos investigados é o vice-prefeito, filiado ao PT.
Outro ladoA Sabesp não comentou as escutas, mas negou ilegalidade nos contratos com empresas de Cerveira. Antonio Carlos Germano Gomes, advogado do empresário, por sua vez, afirmou que os indícios de irregularidades citados pelo MP são “insustentáveis”. Segundo ele, as escutas indicariam preocupação com “prejuízo empresarial” se a Hydrax, que tem Cerveira como sócio, fosse citada.
Blog do Estadão...

terça-feira, 12 de julho de 2011

Alckmin “vende” até 25% dos leitos do SUS para reduzir rombo de R$ 147 milhões nas OSS

Para reduzir rombo de R$ 147 milhões nas OSS, Alckmin apela para venda de leitos hospitalares.
do blog SeaRádioNãoToca

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), através do decreto nº 57.108, publicado em 6 de julho de 2011, regulamenta a lei de 2010, do ex-governador Alberto Goldman (PSDB) e aprovada pela Assembleia Legislativa, que permite vender até 25% dos leitos do SUS. Nesta regulamentação, fica claro que se transfere para as Organizações Sociais de Saúde (OSS) a prerrogativa de fazer contratos com planos de saúde e pacientes particulares. Dessa forma, o Estado não receberá estes recursos — em torno de R$ 450 milhões –, tornando extremamente difícil o controle público sobre eles.
O artigo 3º do decreto não deixa dúvidas sobre isso:
“Artigo 3º – A Secretaria da Saúde não celebrará contrato ou qualquer ajuste de natureza obrigacional com os pacientes particulares e os planos de saúde privados de que trata o artigo 2º deste decreto, cumprindo exclusivamente às respectivas organizações sociais de saúde a adoção das providências necessárias à percepção do pagamento devido pelo tratamento”.
O absurdo é pensar que vários hospitais poderão adotar este modelo, que servirá para tentar reduzir o rombo de R$ 147 milhões em 18 hospitais públicos paulistas, tal como foi denunciado pelo site Viomundo. Ou seja, para reduzir rombo nas Organizações Sociais de Saúde se ampliará à exclusão dos mais pobres, indo contra a Constituição Federal, e com isso se destrói o próprio SUS. Reproduzimos abaixo matéria do Viomundo sobre o projeto de Lei que permite a ampliação da privatização na saúde e que, agora, foi regulamentada por Geraldo Alckmin.
Governador paulista quer “vender” 25% dos leitos hospitalares do SUS
por Conceição Lemes
A saúde pública no Estado de São Paulo está sendo privatizada a passos largos, em larga escala.
Na última quinta-feira, o governador Alberto Goldman (PSDB) tinha certeza de que acrescentaria novo capítulo a essa história: aprovar na Assembleia Legislativa o projeto de lei 45/10, que altera a lei das Organizações Sociais (OS), de 1998, permitindo que vendam a planos de saúde e clientes particulares até 25% dos leitos hospitalares (entre outros serviços) do Sistema Único de Saúde (SUS).
“A nova lei das OS reduzirá mais o já precário atendimento hospitalar da população pobre”, denuncia ao Viomundo o deputado estadual Adriano Diogo (PT), da Comissão de Higiene e Saúde da Assembleia Legislativa. “É a expansão da ‘quarteirização’ dos serviços públicos de saúde no Estado de São Paulo.”
A tentativa da quinta-feira fracassou. Além de aproximadamente 40% dos deputados não terem conseguido a reeleição (e estão faltando às sessões), o tema é impopular.
Resultado: na primeira votação, obteve apenas 35 votos favoráveis. Como é um projeto de lei complementar, necessita de 48 votos para aprovação. Hoje haverá nova votação. O projeto foi encaminhado pelo governador paulista à Assembleia Legislativa, em 1º de dezembro, em regime de urgência.
PROJETO 45/10: DUPLA PORTA E MAIS RECURSOS PARA OS DA SAÚDE
Teoricamente as OS são entidades filantrópicas. Só que, na prática, funcionam como empresas privadas, pois o contrato é por prestação de serviços.
A lei de OS, de 1998, estabelecia que apenas os novos hospitais públicos do estado de São Paulo poderiam passar para a administração das OS. Porém, uma lei de 2009, do então governador José Serra (PSDB), derrubou essa ressalva. Ela permite transferir às OS o gerenciamento de todos os hospitais públicos do estado. É o caminho para a terceirização completa.
Leia mais...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Marta participa da posse da nova diretoria dos bancários de SP .



A senadora Marta Suplicy (PT-SP) participou, nesta segunda-feira (11), da cerimônia oficial de posse dos 88 diretores eleitos para representar os mais de 135 mil bancários de São Paulo, Osasco e região. Pela primeira vez, em 88 anos de história, a categoria  elegeu uma mulher para a presidência, Juvandia Moreira.
Marta destacou a importância do evento e a composição da diretoria executiva do Sindicato que já conta com 50% de mulheres – assim como é na categoria bancária.
“Esse é um sindicato de luta, de respeito e isso dá responsabilidade ainda maior para a primeira mulher presidenta”, ressaltou Marta. “Essa situação provoca alegria. Só não podemos achar que já chegamos lá, porque no Congresso Nacional ainda somos perto de 10%. Mas vamos continuar caminhando e para a Ana Beatriz que aqui está (de 8 anos, filha do dirigente Tafarel) será normal ter uma presidenta, ou ser”, afirmou a senadora.

“Foi respeitada a vontade da categoria”, destacou em seu discurso de posse a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira, agradecendo a todos que participaram do processo eleitoral, reforçando a democracia e transparência do pleito. “Vamos trabalhar muito para corresponder a toda confiança depositada em nós, continuar lutando para melhorar cada vez mais a vida do bancário. Como sindicato cidadão que somos, olhando sempre para a sociedade em geral e cobrando medidas para tornar nosso país um lugar cada vez melhor para se viver.”




domingo, 10 de julho de 2011

ENC: Campanha para cirurgia - urgente

Pessoal,
Boa Noite!
Essa moça a Patrícia trabalhou na Rede Brasil Atual e atualmente esta na CUT,
Têm passado por um grave problema de saúde, e precisando muito da solidariedade e ajuda todos que possam contribuir.  

Obrigada
Atenciosamente
Anatiana Alves
FETEC/CUT/SP




Pessoal,
Estou doente, com endometriose no nível mais profundo possível e pegando 10cm de intestino, além de útero, ovários, trompas. Tudo aderido. Como cirurgião de endometriose intestinal é especialidade rara, o único que trabalha com meu ginecologista não trabalha com plano de saúde. Por isso precisei criar uma campanha para arrecadar contribuições de amigos e pessoas solidárias, já que não tenho como levantar R$ 13.000. O custo da cirurgia é R$ 18.500. Tirando o reembolso que consegui do plano de saúde e desconto do médico, restaram ainda R$ 13.000.
Para participar, é só entrar nesse site: http://www.vakinha.com.br/VaquinhaP.aspx?e=80176
É fácil contribuir. É como fazer uma compra pela internet. De R$ 5 pra cima tá valendo. Quem preferir contribuir sem ser pelo site, é só me contactar.
Sobre a opção pelo SUS: a equipe que já está cuidando de mim há algum tempo e já está definida pra fazer a operação é muito específica e formada por profissionais de ponta, que não trabalham pelo SUS. E parte dela não aceita plano. Não foi uma escolha. O meu ginecologista, que eu escolhi, é do plano, mas ele só opera com essa equipe quando se trata de intervenções no intestino, pois é um procedimento de risco.
Conto com a solidariedade de amigos e com o poder das redes sociais da internet para a divulgação dessa campanha.
Divulguem nas suas redes e e-mails, por favor.
Beijão,
Patricia Santos Ferreira



--


--
Suzana Vier
Repórter - Rede Brasil Atual - www.redebrasilatual.com.br
suzana@redebrasilatual.com.br e suzanavier@gmail.com
(11) 3241-0008

Os cafetões de Deus.